dodô

dodô

24 outubro 2010

terça no Tutti: Os Girassóis do Ernani

Oi, pessoal!

Uma terça dessas, na cozinha do Tutti, apreciávamos a pintura nova, em orgânicas nuances de amarelo.
Mas não há duvida que a peça mais ovacionada foi esta, que o Nani nos deu em um momento de grande inspiração




Diante de tal obra, fortíssima no seu gestual, na energia, no amarelo com azul, nas pinceladas poderosas, alguém pronunciou: Van Gogh.
Foi de prender a respiração!
E voltando a respiração já veio a vontade de fazer um jantar Van Gogh, idéia que já tinha sido pensada antes mas não vingou.
Mas agora eu queria puxar outra veia, aquela era com as cores, aqui eu quero o gesto, o drama, afinal, as cores são o veículo disso tudo.
Foi bem difícil encontrar um ponto de partida material. Até o dia de fazer bagels.
O bagel é um pão que antes de ir pro forno é cozido por 1 minuto, só pra selar a superfície; selado, quando ele vai pro forno não consegue crescer muito mais, então ele fica de um jeito estufadão rico.
Mas imaginem a tensão: a massa querendo crescer, contida ali, rompendo casquinha. Em lugar claro, com atenção dá pra ver os feixes de massa.
Eu não sabia como dizer pra vocês o que de Van Gogh eu via nos bagels, mas não demorou muito pra achar uma solução nessa cozinha onde ultimamente o que não falta é beterraba!
Pois é, sabe como são esses bichinhos, pulou na panela bordô antes mesmo que eu pudesse dizer Aix en Provence! Eureca!



A foto é assim caseirinha mas agora fica mais clara a visualização deste cotejo a partir das linhas que causam impressão tensa e suculenta.



E não parece que as linhas estão inchando e querem romper as bordas da tela?
mais uma imagem do Van Gogh (me empolguei!)



O bagel vai inteiro no prato, quem quiser corta e faz sanduíche, quem quiser rasga em nacos e vai ‘limpando’ o molhinho. Bom, aqui é com vocês, sabem que o prato é de quem come não de quem faz!

Com o pão, berinjela com alho na panelinha de ferro. E cogumelos, numa mistura campestre regada a molho de nata e verdinhos. Também umas folhas como salada e, como não?: um queijo.
pão pão queijo queijo.

Reservas podem ser feitas pelo
aline.higa@gmail.com


obrigada!

Um comentário:

Cacau Folador-Rocha disse...

Adoro suas descrições de culinária artística! Vou começar a olhar várias massas de um ponto de vista mais impressionista... ;)

Parabéns pelo trabalho!