15 julho 2019

Now I wanna be your dog


mapa de 1.20h da manhã. #ficaadica pra quem estiver acordado. 

                 A Lua quando entra no signo de Capricórnio sofre, seca, perde sua abundância nutridora. Hoje ela encontra Saturno, que impõe ainda mais restrições, sempre, por todo o Tempo.
                 Hesíodo coloca que "Quando Crono impõe pela primeira vez o seu poder, superando o de seu pai Céu, instaura-se o âmbito de uma nova ordem, em que vige o acasalamento por graças e manhas de Afrodite (e não mais pela mera ação filogenética do cosmogônico Eros, que açulava o Céu)"
                 Afrodite, Vênus, está bem para graças e manhas, no signo de Câncer; a questão é que ela está em oposição exata à Lua com Saturno. Oposição é um aspecto tenso, de embate, mas por outro lado, os planetas se olham de frente! embate de peito aberto! Vênus em Câncer, que mesmo regida por Saturno, está aquecida pelo recém encontro com o Sol. Vênus olha de frente e sente na espinha aquele deserto gelado no signo de Capricórnio. Em aula apareceu o assunto da Vênus em Capricório ter uma tendência a sado-maoquismo, porque Capricórnio rima com dor. Lembremos que Marte se exalta em Capricórnio!
                 Terça-feira é dia de Marte, deus da guerra, que está no signo da vontade. Mercúrio há pouco o encontrou, ambos em Leão. Ah, tão voluntarioso, NOW I WANNA be your dog!
                 E caranguejo (signo onde Vênus se encontra)? Segundo o mito. ele olha de baixo para cima, ou seja, pode agir a partir de outros pontos de vista. Última peça desse jogo: a Fortuna está na casa 7.  Em escorpião. Well, c'mon!
.
                 Saturno têm dado tanto osso pra gente roer ultimamente.



BISCOITOS DE OSSINHO

150g farinha de trigo
60g aveia em flocos finos
1/2cc sal
30g oleo de coco sem sabor (gelado, em cubinhos)
30g azeite de oliva
100g queijo de batata ralado (usei o da Superbom)
2cS água gelada
Misturei os secos; então os óleos e com a ponta dos dedos fui quebrando a gordura de coco e rapidamente misturando até formar uma farofa. Com cuidado pra não esquentar o óleo e ele derreter. Então juntei o queijo e a água gelada, abri com o rolo e cortei no formatinho.

Clique aqui e coloque para assar em forno pré-aquecido.


12 julho 2019

Lua em Sagitário

09 julho 2019

risoto com feno grego

                 Ainda tem osso pra roer! Sol em oposição a Saturno domiciliado!
                 Saturno regendo o Sol, por tabela. Rege a Lua que rege o Sol. A Lua quadra os dois. Mas ela é a nossa esperança: está no ponto mais alto do mapa, está conjunta ao lote da Fortuna e está conjunta à estrela fixa Spica; é estrela benéfica mas lembra: é preciso trabalhar, é preciso respeitar o tempo, cuidar da terra pra nutrir o broto, cuidar do broto, por aí vai. Depois separar os grãos, levar pra vender na feira, coisa da Balança. O Sol, ali da casa 6 concorda. A função de nutrir é labuta invisível, que exige constância e disciplina.
                 Mas olha como as coisas não são só dor ou só deleites: é preciso respeitar o tempo do descanso também. Até o Sol, ali no descendente, está se pondo.

                 Vamos aproveitar que esse Sol nutridor rege a casa 7, a casa do outro, e oferecer aquela comida confortativa?

                 Risoto. Quentinho e úmido, como essa conversa de Câncer-Leão. Risoto também fala de Saturno em Capricórnio. O risoto leva o Tempo a sério! A Silvia muito bem disse: "A prosa na beira do fogo segue o ritmo do risotto, afinal, um risotto não espera, ele é esperado!"




                 Um grão saturnino para Spica hoje: feno grego germinado. O feno grego seco parece um torrãozinho de terra, eu quase não acreditei que ia germinar, coisica melancólica. Mas com o tempo, surgiram os brotinhos. Levemente amargosos, como era de se esperar. O risoto, de brócolis.






03 julho 2019

Vênus em Câncer


Vênus entra em Câncer, juntando-se aos os Luminares que se opõem a Saturno em Capricórnio.


"Eu deixarei que morra em mim o desejo de amar os teus olhos que são doces
Porque nada te poderei dar senão a mágoa de me veres eternamente exausto.
No entanto a tua presença é qualquer coisa como a luz e a vida
E eu sinto que em meu gesto existe o teu gesto e em minha voz a tua voz.
Não te quero ter porque em meu ser tudo estaria terminado
Quero só que surjas em mim como a fé nos desesperados
Para que eu possa levar uma gota de orvalho nesta terra amaldiçoada
Que ficou sobre a minha carne como uma nódoa do passado.
Eu deixarei... tu irás e encostarás a tua face em outra face
Teus dedos enlaçarão outros dedos e tu desabrocharás para a madrugada
Mas tu não saberás que quem te colheu fui eu, porque eu fui o grande íntimo da noite
Porque eu encostei minha face na face da noite e ouvi a tua fala amorosa
Porque meus dedos enlaçaram os dedos da névoa suspensos no espaço
E eu trouxe até mim a misteriosa essência do teu abandono desordenado.
Eu ficarei só como os veleiros nos portos silenciosos
Mas eu te possuirei mais que ninguém porque poderei partir
E todas as lamentações do mar, do vento, do céu, das aves, das estrelas
Serão a tua voz presente, a tua voz ausente, a tua voz serenizada."

[Ausencia, Vinicius de Moraes]

Conchiglione com Muhammara
da memória do Dodô


27 junho 2019

Sol em Câncer regido pela Lua exaltada, jubilada e conjunta ao lote da Fortuna



Câncer é a raiz. 
Hoje às 22h o Sol, que está em Câncer, é regido pela Lua exaltada em Touro, jubilada na casa 3 e, não bastasse, conjunta ao lote da Fortuna!
No Lamen, esse prato japonês, o mais importante também é a base. É o caldo onde, na hora de servir, são adicionados o macarrão e o que mais o cozinheiro quiser.
O preparo exige atenção e tempo. Os ingredientes cozinhando em fogo baixíssimo, soltando as moléculas, misturando os sabores, formando o que sem dúvida podemos chamar de caldo primordial. Sem pressa. Pensa que Saturno está domiciliado e relaxa.
Também no mapa de agora esse processo acontece na casa 5, a das criações. Sol e Marte em fogo baixinho, regidos pela Lua em Touro conjunta à Fortuna.
A Vênus no signo das trocas.
Ótimo momento para preparar um caldo.

"A transformação que ocorre no interior do caldeirão é vital é extraordinária, sutil e refinada. A boca não pode expressá-la em palavras."
I Yin, chef chinês, 239a.C.

Câncer, um dos signos mudos.
Mercúrio não está totalmente mudo. Está em Leão. E essas delícias alegres e lindas em cima do Lamen? Ali eu coloco o que eu quiser! "Não se empolgue", diz o Sol em Câncer. Muó. Tá bom, mas olha, dessa vez eu escolhi o seguinte:
Shimeji e folhas de agrião da terra, ambos salteados tostados. Pouquitinho de pimentões salteados. E broto de feijão moyashi (branquinho, frio e molhado como a Lua). Na foto está uma quantidade civilizadinha de moyashi mas deixa a cumbuca perto porque a textura crocante e delicadíssima ficam tão bem com o macarrão macio e esse caldo forte, que com certeza você vai querer colocar mais.

A receita do caldo segui quase totalmente obediente essa instrução aqui (começa no quinto minuto do vídeo)
O que mudei:
. usei leite de amendoim preparado em casa: deixei de molho desde a véspera 1 xícara de amendoim, lavei, descasquei, bati com meio litro de água e coei.
. coloquei um pouco de sal negro, que traz um sabor de ovo.
. não usei o shiitake hidratado, deixei para outro preparo.



Prato lunar da @mariaravazzani

06 junho 2019

#TBT Lua em Câncer





                 Já que é quinta feira e temos três planetas em Câncer, inclusive a Lua sua regente e significadora da nossa memória, vamos viajar de #tbt
                 Lá em 2016 ganhei da Lídia um cartão do Hostel Aline onde ela se hospedou no Marrocos. Notícias de Júpiter. Ela também é de Júpiter.
                 Sei que fiquei com vontade de fazer couscous marroquino que é tão gostosinho e macio e acolhedor (inclusive acolhe tudo quanto é acompanhamento, incrível) como o colo de canceriano. Mas olha só, nesse dia o que eu tinha era jiló! Ficou bom! E tem tudo a ver com hoje, com Saturno domiciliado bem de frente aos planetas no caranguejo, em oposição. A realidade tem seus amargores, nesse caso foi tostadinha na frigideira fechada até ficar com a casca queimadinha saturnina. Opondo e afirmando o couscous que enquanto isso ficou ali quietinho hidratando na cumbuca. Temperos que quiser, tudo combina. Eu fui num molhinho Vênus em Touro, encorpado e marcado com o toque telúrico do tahine: tahine, azeite de oliva, suco de limão, hortelã e pimenta verde.


                 A postagem original, com detalhes, está aqui.

27 maio 2019

Lua em Peixes

foto: Analu Bambirra



                 A Lua está em Peixes e cá estou lendo sobre a Lua ao invés de estudar o que realmente deveria; muito coerentemente aliás, com a quadratura de Lua e Mercúrio de há pouco. Mas é que essa Lua, ontem, me deu duas imagens tão lindas (e é tão rica a linguagem imagética, sempre fico comovida e grata) que estou fascinada! Uma das imagens vem do texto da Analu Bambirra que traz um trecho do Neil Gaiman. Estou comovida e grata. A outra imagem foi doída,  de des-ilusão; é bom também, estamos no finzinho da lunação que teve a Lua cheia em Escorpião, vejo espalhada pelos horóscopos a pergunta: "o que você vai deixar de carregar?". Ilusão é bom deixar mesmo: é uma imagem que existe na memória (ela existe, não é apagada), mas agora existe outra, como os peixes unidos por um cordão e olhando pra direções diferentes.
                 Peixes fala das águas e dos amores, está hoje com seus dois regentes, Júpiter e Vênus domiciliados. A Lua, errante feminino, noturno, frio e úmido, recebe influências nos muitos nos aspectos que faz em seu trânsito, pois tem natureza receptiva e está na esfera muito próxima da Terra; ela é a taça que recebe o que vêm das esferas exteriores. Rege as águas e os humores. E hoje traduz tudo isso de maneira pisciana. parece um ótimo dia para aplicar o método Marie Kondo: pegar cada coisa e perguntar: "isso me traz alegria?". Se a resposta for não: um monte pra descarte, um monte pra doação... Se a resposta for sim, fica, com a consciência da alegria.

                 A conserva DÔ de Peixes é o Molho Inglês, preparo em que os sabores dos ingredientes se unem nesse mar de maneira que já não se sabe mais onde começa um e termina outro.

19 maio 2019

Marte em Câncer regido por Lua em Sagitário


                 Era pra ser um prato assaz nostálgico pensando em Marte em Câncer, daquela nostalgia que nos dá ânimo pra continuar lutando, aí a Lua entrou num signo de fogo e até apareceu um Sol depois de vários dias frios e nublados! A gente precisa de fogo pra esquentar essa panela, claro!
                  Além disso, juntando Câncer com Sagitário, lembrei de uma anotação da Astrolíricas:

                 “'O melhor de ir é poder voltar.' O Caranguejo vai e junto com os passos, cria caminhos de histórias e saudade. Quando volta para trás, se alimenta de tudo isso que deixou.
                 O melhor de ir é poder voltar andando de ré.”
                 Vou contar pra vocês que isso acontece demais com as receitas. Aproveito que a Lua sagitariana vai até bem longe e trago um exemplo que vem do outro lado do mundo e passou por transformações que toda receita – e toda linguagem – passa. Porque está viva.
                 Ao mesmo tempo ela, receita, marca a gente de um jeito que parece fixa. Por exemplo o estrogonofe. Esteve em voga há algumas décadas, e tinha sempre aquele jeitinho de ser preparado e servido. Lembro que o arroz era sempre enformado numa cumbuquinha, enfeitado com uma salsinha, muito chique. A batata palha ficou indispensável. Era uma época de muito creme de leite em tudo, deixando os pratos (inclusive saladas) avelulados, ricos e até bem pesadinhos. Mas eu era criança, podia ficar fazendo a digestão taurinamente por quanto tempo fosse necessário.
                 No preparo, eu trouxe esse sotaque brasileiro do estrogonofe, da década de 80, 90. Que por sua vez trazia o perfume exótico da nobreza russa do séc XVII; também no caminho ganhou um sotaque e uma grafia kitsch afrancesada (como aponta o Silvio Lancellotti). E assim as receitas vão e voltam. Júpiter regente da Lua está retrógrado, e domiciliado. Fogo bom nessa panela. Todo essa essa construção de memória, dále Marte! Alguém pode observar que sim, está tudo muito lindo mas estamos sob efeito de uma lua cheia em escorpião. Bem, observem quanta acidez tem nessa receita: tem a mostarda, tem molho inglês, tem picles picadinho, os ferrõezinhos da batata palha, a história da nobreza russa do séc XVII, no creme azedo que é mostrado por Lancellotti enfatizando o caráter escorpiônico da fermentação, que também é matéria e nutrição do mangue, terreno do caranguejo:
                 “Quem não souber cometer, corretamente, um creme azedo, quem não ousar expor o laticínio à acidez, num desvão da cozinha, de uma noite até 24 horas, apenas falseie o seu paladar final com algumas gotas de suco de limão.“
                 Sim, o texto dele não é nenhum docinho, aliás. Gostaria de apontar também aquela referência sutil a Saturno - que hoje está cuidando da manutenção do seu poder em Capricórnio - logo no começo da receita:
“200g de filé mignon cortados em lascas do tamanho dos dedinhos de uma criança “
                 Aqui no Dodô a gente falseia o creme de leite (porque o leite é do bezerro) e o filé mignon (porque a mãe é do bezerro) mas cortamos o seitan em lascas do tamanho dos dedinhos de uma criança.
                 Falseamos também o brandy porque, como bem sabemos:
                 “Nunca dê bebida a um centauro!”

ferrugem do @zeldonribeiro
o texto do Lancellotti pode ser lido aqui



RECEITA

Comecei deixando de molho 1 xícara de amendoim em bastante água. Então escorri e liqudifiquei esse amendoim com 1 xícara de água nova. Coei.
Na panela, fiz suar um dente de alho e uma folha de louro em azeite de oliva; acrescentei então 1/2 xícara de passata de tomate, o leite de amendoim, temperei com sal, pimenta do reino, páprica picante, 2cc de molho inglês, 2cc de mostarda e deixei misturar bem. Só então acrescentei 2cS de biomassa de banana verde e 1 xíc de seitan cortando em lascas do tamanho de dedinhos de criança. (preferi deixar essa medida em volume caso alguém queira fazer com outro ingrediente, como pts, nata de soja, berinjela etc.)
Salteei em uma frigideira com óleo bem quente cogumelos Paris cortados em lâminas grossinhas e juntei ao estrogonofe. Também alguns pepinos em conserva bem batidinhos. E salsinha.

16 maio 2019

Lua e Spica em sextil com Júpiter




                 "Há um ditado africano que diz que todo grão de milho vai nu ao campo e, de lá, volta vestido e com a boa sorte. Matar a fome dos seus é uma dádiva a que, a priori, somos todos merecedores. No entanto, a disciplina e a inteligência virginianas, atributos que são necessários para que qualquer semeadura alcance o frescor e a fartura da maturidade, terão que ser conquistados sol a sol, honrando o suor dos céus e da própria testa. Enquanto uma mão, pela enxada do tempo, fica calejada, a outra, porta a espiga, pura, com a qual abençoará o pão e tudo o que tocar."* João Acuio, aqui 
                 Hoje acordamos com esse aspecto tão bonito no céu. A Lua passou pelo grau onde está Spica, a estrela fixa da constelação de Virgem, a estrela que fica na mão dela, que nos lembra a colheita. Das aulas a pergunta: "O que você está semeando?" afinal, é disso que depende a colheita.
A Lua, com Spica, em sextil a Júpiter domiciliado.
Para o alto! E avante!

                 A Spica é associada ao trigo mas também ao milho. Como hoje está frio,e é época de milho - respeitemos os ciclos - ofereço um curau de milho. É quase um mingau, dá conforto (Marte entrou em Câncer), dá força pro trabalho, e bem simples de preparar: No liquidificador: 1 e 1/2 xíc de milho verde com 1 xíc de água. Peneirei. Levei à panela com 2cS de leite Supra Soy em pó e 1cS açúcar demerara, porque o leite já é docinho. Mexi até ferver. Canela por cima 🌽

15 maio 2019

Vênus em Touro


                 Agora sim, Touro está taurino; sua regente chegou em casa depois de uma temporada escaldante! Mesmo com o Sol e Mercúrio em Touro não estávamos tão aliviados por causa da regente exilada em signo de guerra.

                "He venido encendida al desierto pa quemar
                 Porque el alma prende fuego cuando deja de amar"

                Lhasa de Sela

 
                 Mas agora, sombra e Vênus fresca!
                 Deu vontade de cogumelos. Porque eles moram no verde, nas sombras, na umidade, num lugar sem pressa. Consegue ouvir o barulhinho da água correndo? Dos animais se movendo (inclusive os mosquitos)? E esse perfume de terra?
                 Minha sugestão, bem encorpada, untuosa, úmida e venusiana para esse dia: fazer um risoto com cogumelos frescos.
                 Para preparar o risoto tem que ficar ali no pé do fogão mexendo o arroz, na maciota; até o Mercúrio que está ali junto vai ficar feliz, observando, considerando devagar as mudanças dos aromas, das texturas, das cores, quem sabe querendo experimentar um tempero diferente, quem sabe não; é bom assim do jeito que a gente conhece e gosta também. A Piloto Júpiter escreveu hoje mesmo: "o prazer é a semente da repetição, e a repetição é a semente da estabilidade".
                 Sei que a gente vai ter uma preguiça de lavar uma panela a mais, mas acreditem, vale a pena saltear os cogumelos separadamente e só misturar ao arroz bem no final do preparo!
Receita de risoto não falta nem na rede nem no blog do Dodô, risoto aqui ganha domicílio, exaltação e júbilo!! Algumas receitas da casa: