22 abril 2019

Sol em Touro, Vênus em Áries


                 O Sol que estava exaltado em Áries chegou há pouco no signo de Touro, dando uma diminuída no fogaréu do céu.
                 A energia colérica impetuosa ariana materializada no corpo do touro.
                 O cuscuz é preparado na panela, no fogo, mas depois de enformado fica ali, tranquilão, repousando. É gostoso em temperatura ambiente, é gostoso gelado, e juro que sempre gostei muito mais de raspar uma panela de cuscuz do que uma de brigadeiro!
                 É imprescindível a ardência da pimenta distribuída no corpão do cuscuz. Prezamos pela harmonia, claro; estamos em território venusiano mas ela mesma, em Áries apimentando os ânimos e toda essa gostosura.
"De todo o meu passado
Boas e más recordações
Quero viver meu presente
E lembrar tudo depois
Nessa vida passageira
Eu sou eu, você é você
Isso é o que mais me agrada
Isso é o que me faz dizer
Que vejo flores em você"

                 A receita já postei uma vez então é só seguir aqui

17 abril 2019

Mercúrio em Áries - Marte em Gêmeos



Mercúrio está em Áries a partir de hoje; e assim o deus do jeito de pensar e de falar ganhou o fogo do carneiro. É cabeçada. É o pensamento e a fala autêntica, imediata.


"Com o coração à flor da boca"; foi assim que vi uma vez a Laerte Coutinho definir a palavra CORDIAL. Como pode uma frase tão linda? A Laerte tem Marte em Gêmeos, como o de hoje. O de hoje faz mútua recepção com Mercúrio em Áries. Estou muito curiosa pra ver, ou melhor ainda, ouvir muita coisa durante esse período.
Que as coeur-dialidades tenham resultados criativos e nutritivos, esperamos. :)



O que tá dentro explodindo, se expressando, pra todo lado: cabeçadas nas paredes, na tampa, no que tiver na frente. Acredito demais na pureza do Carneiro, apesar dos arroubos imaturos; são duas faces da mesma moeda afinal.

01 abril 2019

Marte em Gêmeos


                Ontem Marte saiu da solidez da primavera fixa de Touro para entrar no signo de Gêmeos, a privamera mutável, as palavras, os ventos. Aqui, nossa arma é a astúcia, a comunicação, a pesquisa, em suma, o que está ligado à inteligência, pois Gêmeos é regido por Mercúrio.
Bom lembrar que logo o próprio Mercúrio entrará no signo de Áries, ficando em mútua recepção com Marte, e, claro, vai ficar um Mercúrio impulsivão! Então é melhor ter feito a tarefa, pesquisado sobre os assuntos que podem te confrontar, conhecer as possibilidades, porque quando você tiver uma reação, já tem alguma base para agir. Planejamento não é uma palavra aqui, é conhecimento para saber como agir na hora. Como tão bem lembrou a @vespertinastrologia esses dias, "é preciso ser leve como um pássaro, não como uma pluma." (Paul Valéry). Estudem, estudem. Por dois.

Cortei um repolho pequeno em gomos, temperei com sal, mostarda em grãos e azeite e levei ao forno com o grill ligado. Na Grécia de 400aC, antes do início da comercialização da pimenta, a mostarda era o sabor mais quente do Mediterrâneo*. Quando Mercúrio passar de Peixes para Áries a gente pega mais pesado na pimenta! 
*DALBY, Andrew. Sabores perigosos. 

cerâmica da @spiralceramicas

31 março 2019

Lua em Aquário



                 Lua em Aquário, minguando, e eu não vou nem me expandir muito buscando frases, buscando as ideias pra concatenar, ainda mais que já tem esse texto da @solinvictusastrologia que, uau!, palavra por palavra, com clareza e com riqueza já me nutriram hoje; e se a Maíra me permite, ainda compartilho essa água dela com vocês 🌙

"A Lua segue em sua fase minguante, pelo signo de Aquário: aquele que narra o mito sobre o humano levado pelos deuses ao topo do monte Olimpo, passando a viver distante de seu lar - mas que, desde então, compartilha a água sagrada de um jarro aos seus iguais, despejando-a em forma de chuva a partir do degelo das montanhas.
.
E se a Lua é o recipiente que simboliza tudo aquilo que temos em comunhão - uma língua matriz, o pertencimento a uma família, um povo -, estando ela em Aquário, portanto peregrina; é como se caminhasse pelas margens do mundo tentando encontrar, ainda que de maneira distanciada, morada no que há de mais comum: a humanidade presente em cada um de nós.
.
O mitólogo Junito de Souza Brandão diz que a Lua, por sua natureza essencialmente úmida, era chamada de “dispensadora de águas”, portanto associada não apenas às chuvas, como também às ancestrais mulheres aguadeiras, que carregam seus baldes pelas comunidades afora. Mas sendo Aquário um signo do elemento ar - ligado às ideias -, a água que esta Lua hoje leva na cabeça é na verdade feita das reflexões sobre o que podemos fazer desse tempo que habitamos. Afinal habitar - uma casa, uma cidade, uma vida comunitária, ou seja, política - é um verbo lunar. Do latim “habitare”, de mesma raiz para hábito, tem relação direta com o conceito grego “éthos”: sobre todo conjunto de ideais compartillhado por qualquer coletividade.
.
A Lua míngua em Aquário, este signo considerado como o mais humano do zodíaco - despejando de seu jarro ética para dar de beber aos que têm sede por habitar um mundo melhor.
.
☼ Maíra Fernandes "


foto da @media.lunas que também sem cerimônias compartilha seu conhecimento aos quatro ventos ♥

26 março 2019

Vênus em Peixes



Batata doce lembra Júpiter: doce, nutritivo, generoso. O grande benéfico está hoje no seu domicílio diurno Sagitário, alegre, colorido, e Vênus entra no outro domicílio dele: Peixes.
Vocês conhecem o mito do nascimento da Vênus? Ela nasceu do mar: da espuma do sêmen de Urano que caiu na água. E Vênus, sendo significadora do que a gente gosta - e de como a gente gosta -, no signo que não vê fronteiras e tem amor a tudo e a todos, fica literalmente exaltada. 
Acabei de ler da @_marialilith
"No embalo do destino e de tantos amores contrariados, mantém sempre intacta a fé inabalável no amor e na capacidade de amar, amar e amar. 
Intransitivamente.
Desesperadamente.

Vênus nos domínios de Júpiter.
O amor é uma bênção."

25 março 2019

Mercúrio em Peixes


"'O cominho é a planta que mais dá frutos', escreve Teorasto no século IV a.C. 'Diz-se uma coisa estranha sobre essa planta: quando alguém a está semeando, precisa amaldiçoá-la e caluniá-la se quiser ter saúde e muitos filhos.' *

Peixes é um signo fértil, que dá detrimento e queda a Mercúrio, o deus que cuida da palavra, da comunicação, da mente racional. Não bastasse isso, hoje ele está andando para trás quase parando, situação que compromete mais ainda sua exatidão e astúcia mas que dá, por exemplo, liberdade no uso da palavra.
Aí me lembrei do dia em que a @cdieckel disse que cominho tem gosto de chulé de besouro. Com Mercúrio em Peixes - pra trás quase parando pra retomar o movimento direto - essa imagem faz todo sentido. 
Então essa combinação deu sopa! Se a gente for pensar, sopa-creme é um preparo pisciano - feminina, úmida, mutável, com todos os seus sabores que se misturam e quase não se distinguem. Além disso, Peixes rege os pés, mesmo que de besouro. Por que não regiria, né, Mercúrio? 
Pra prevenir, melhor usar um cominho que não foi caluniado durante a semeadura. *DALBY, Andrew. Sabores Perigosos, a história das especiarias.

21 março 2019

DEGUSTAR, por Bruno Ueno

                 Esse mês o astrólogo Bruno Ueno escreveu sete textos para a Satunália, como ele mesmo explica:

 "Peço licença ao João Acuio e toda Saturnália, família e leitores, para adentrar neste espaço e fazer uso do lírico, da poética e do fluxo que percorre o saber astrológico. João denominou que escreveria “7 dias de sangue”. Confesso que quando li pela primeira vez imaginei o “sangue” como o Céu em trânsito com os astros errando por trajetórias diversas. “O Céu, com seu sangue oracular, deságua em nossos sentidos”. Tendo isso em mente, cada um dos dias trarei aqui uma leitura oracular com base na astrologia e algumas palavras sobre os sentidos da vida. “E se faço isso é por entender que a astrologia me deu outra percepção de sentir o Mundo que me rodeia”. "




Para o nosso contexto, trouxe:


“DIA 3: DEGUSTAR”

Em uma de suas aulas, o saudoso etnólogo Flávio Wiik estava problematizando a universalidade do conceito de “cultura”. E comentou que certa vez discursava com um senhor de um grupo indígena sobre o que poderia ser considerada a “cultura” daquele grupo (artes, rituais, objetos, linguagem). O senhor o interrompeu dizendo: “pare, você não está entendendo nada. Nós sabemos o que é cultura. Cultura não é isso aí que você está falando. Cultura é o que a gente come”. E pronto.

Hoje, dia de Júpiter, acordamos sob a Lua em Libra, o signo representado pela Balança. Em um dos pratos, o domicílio de Vênus, a apreciação do belo, do doce, do prazeroso, da benesse. No outro prato, a exaltação de Saturno, a restrição, o julgamento, o chumbo, o amargo. Entre um e outro, Libra é cardinal, um signo que é pautado pelo agir a partir do momento em que alguém decide colocar algo em um dos pratos de sua Balança. “Se você me joga amargor, balancearei o resultado com um pouco de açúcar”. A cultura alimentícia da Balança é a Temperança. “Uma taça de vinho a noite para cada xícara de café tomada de dia”.

Para as horas que se seguem, os pratos da Lua-Libra ficarão vazios e nada será devidamente temperado. O jejum é um período interessante. Quando nada se coloca à boca para degustação, os aromas de comida excitam rapidamente as glândulas salivares. Temos pressa nestas primeiras horas. Contudo, após um certo período, para muitos o corpo passa a se adaptar à restrição colocada. Atravessamos os momentos seguintes relativamente estabilizados. O paladar se sensibiliza progressivamente. E, assim que nos alimentamos, após longas horas de jejum, sentimos cada acorde do alimento. Valorizamos mais os acontecimentos e o que digerimos e absorvemos para nós mesmos.

Enquanto jejuamos para preparar o paladar para o dia de amanhã, próximo ao meio-dia Vênus realiza sextil a Júpiter e se afasta da quadratura com Marte. Muitas sobremesas ficam melhores após resfriarem. Intensificam os seus acordes e tornam a experiência do degustar mais embriagante. Pelo menos na cultura do nosso paladar.

A madrugada de hoje adentrará junto com a Lua-Libra na Via Combusta. Entre hoje e amanhã, o “cru” e o “cozido”. Para as horas de hoje, enquanto jejuamos, vale pré-aquecer as chamas do que se cozinhará nas horas de amanhã. Na sexta, a Lua-Libra fará aspectos com Saturno e Vênus. Pois é disso que se trata os dois atuais. “Só passei a reconhecer o valor dos doces da vida após um longo período ruminando as suas ervas amargas”.

Bruno Ueno

#setediasdesangue

20 março 2019

EQUiNÓCIO DE OUTONO . LUA CHEIA EM LIBRA



Hoje no começo da noite o Sol entra em Áries. É o início da Primavera mítica, da expansão, dos primeiros rebentos, do calor Sol. 
De qualquer maneira, agora as noites e os dias têm a mesma duração, luz e sombra estão equilibrados.
Luz e sombra também estarão bem divididos entre os luminares: poucas horas após a entrada do Sol no signo de Áries, a Lua entra em no signo de Libra e faz uma oposição exata a ele, ganha muito da sua luz e marca o início da fase cheia.


Ao mesmo tempo, o equinócio é de Outono aqui no hemisfério sul, e isso sempre tem que ser comemorado com uma sopinha. 
O preparo é tão simples quanto o próprio signo de Áries: assei a abóbora inteira no forno. Poderia ter processado mas passei a polpa da abóbora por uma peneira, temperei com tahine, sal e pimenta.
Enquanto isso, no outro prato da balança, piquei uma maçã e deixei no limão.
Na hora de servir é só combinar a maçã azedinha e fria à abóbora adocicada e quente. Com equilíbrio libriano.

Feliz Ano Novo!

13 fevereiro 2019

Mercúrio em Peixes

                   Um mercúrio de inúmeras verdades. 
                  Quem disse que o fake fish não é um peixe?




                  Já vi esse preparo com uma marinada onde o tofu descansa durante a noite anterior. Fica bem bom também. Eu gosto bastante de tofu então cortei e temperei na hora mesmo, com sal e pimenta. Enrolei nas tiras de nori, passei na farinha e assim foram para a frigideira bem quente com óleo de girassol.

14 janeiro 2019

Lua em Touro

                    A Lua chegou no signo de Touro. 
                  Porém recém saída de um encontro com Marte, ali em Áries, seu domicílio bélico; então trouxe neste prato a memória de uma receita assaz violenta: o steak tartare, em cujo preparo só se usa a faca e o pedaço do bicho. Mas trago só a memória, Marte já ficou pra trás no caminho da nossa Lua. Quero dizer, quase, Capricórnio (onde Marte tem sua exaltação) ainda é um terreno superpopuloso, e quadra a caminhante. Estamos subindo a montanha, sejamos econômicos e precisos, porém sem perder a doçura e as flores.






                  A cabotiá foi assada, o alho poró passou rapidamente pela frigideira, de tão novinho e tenro que estava.
                  Temperei com sal, molho de pimenta habanero, azeite de oliva e servi com flores de azedinha.

06 janeiro 2019

Dia de Reis com stellium em Capricórnio

                  Dia de Reis. Um céu com 4 planetas em Capricórnio, Marte domiciliado em Áries. Muito seco. O que você faz? 
                  Oferece uma joia hidratante e perfumada: Shanklish de pepita de abóbora com casquinha de zahtar.






                  Deixar de molho (de preferência fazer germinar) 2 xíc de pepitas de abóbora. Liquidificar com água, coar. Separar a parte sólida para outra receita. Espremer 3 limões e reservar, separado. 
                  Em uma panela, temperar esse líquido com 2cc sal e, em fogo médio sem parar de mexer, levar a ferver. Deve ficar cremoso, se ainda estiver muito ralo, deixe engrossar, ainda mexendo. Apagar o fogo e delicadamente misturar o suco de limão. Tampar a panela e deixar talhar (a receita original pede 4 horas). Então colocar para escorrer em uma peneira forrada com um tecido fino, isso leva uns dias, manter na geladeira e não tampar totalmente, a água precisa sair. 
                  Quando estiver sólido, formar as bolas, passar em zahtar. Manter na geladeira em recipiente forrado com papel toalha para que absorva a umidade. Esse papel deve ser trocado várias vezes para evitar que mofe, e a bolinha pode ser passada em mais zahtar que também ajuda nesse processo. Fechei o recipiente com um filtro de café para proteger mas não abafar. 
                  Na hora de servir, regar com azeite de oliva. Vai muito com com saladas e pão.