dodô

dodô

28 outubro 2012

A Receita de Angelotti

l




Tragédia em seis atos baseada nas óperas
Cenerentola & La Tosca (Puccini)

Personagens

Floria Tosca (rosa com pintas pretas, doce & sensual)
Mario Cavaradossi (verde esperança com pintas pretas, sentimental)
Scarpia (verde nojento com pintas pretas, mau, muito mau, mau mesmo)
A Receita de Angelotti (receita culinária de lamber os dedos)



RESUMO GERAL

A peça inicia com o eterno triângulo amoroso: Floria, Mario e a lembrança do Prato de Angelotti. Imediatamente o triângulo transforma-se em quadrado amoroso com a entrada do pérfido Scarpia, que deseja, a todo custo, a receita. Frente à resistência de Mario, que se nega a entregar o segredo, Scarpia manda prender Mario e investe contra Floria: a receita ou o seu amor. Com a recusa de Floria, Scarpia se torna violento e o quadrado amoroso transforma-se num pentágono: a Morte entra em cena (ela não foi representada de forma explícita por falta de tempo e para não chocar a plateia). Floria mata Scarpia, reduzindo o pentágono em quadrado (Floria, Mario, a receita de Angelotti e a Morte). Seguindo ordens dadas anteriormente, Mario é eliminado, reduzindo o quadrado a um triângulo. Floria não resiste à perda de Mario e morre. Sobram a Morte e a Receita, apresentada, na forma original (de acordo com a irmã do Allan em Milão), na última página.



ATO I (CENERENTOLA, 3:35)

Mario e Flora gozam os momentos felizes, passados e futuros, frente a belos pratos de Angelotti. Impossível deixar de sentir o carinho entre eles, o amor alimentado, dia a dia, com belos pratos. Pungente!



ATO II (TOSCA, Dov’è Angelotti? 2:42)

Ai-Ai-Ai-Ai: Scarpia entra em cena (não quero nem ver!). Scarpia grita com Mario para que este entregue a receita. Ouve-se, claramente, a voz de Scarpia exigindo: Dov’è Angelotti?? Ouve-se, também claramente, resposta de Mario: Non lo so!! E Nego!! Mario não entrega a receita.




ATO III (TOSCA, Quanto? Quanto? Il prezo! 2:31)

Mario foi preso por ordem de Scarpia. Floria tenta comprar a liberdade do seu amado. Numa cena de alto conteúdo dramático Floria, cheia de desprezo na voz, pergunta a Scarpia: Quanto? Indicando estar disposta a pagar o preço em moeda corrente. Demonstrando uma insuspeitada grandeza de caráter, Scarpia devolve desprezo com desprezo: Quanto?! Scarpia deixa claro que ele não se vende a preço de moeda e que a liberdade de Mario só pode ser comprada pela Receita de Angelotti ou pelo amor de Floria. Baseada num comportamento tipicamente feminista, ignorante de toda arte de negociação, Floria se recusa a entregar tanto a receita como o seu amor a Scarpia. Scarpia, num acesso de paciência e tolerância extremadas deixa claro a Floria que ela pode perder toda a esperança de salvas Mario se não entregar a receita. Floria finge (ah! O eterno fingimento feminino) aceitar a entrega do seu corpo (mas não a receita, o que mostra como são as mulheres!!) e Scarpia promete (ah! A eterna fraqueza e credulidade masculina) que a execução de Mario será simulada. Obtida a promessa, Floria, num claro desrespeito à palavra dada, mata Scarpia.




ATO IV (TOSCA, Vissi d’Arte 4:03)

Scarpia está morto. Floria acende as velas e canta sua tristeza ao lado do cadáver. Ela está triste, mas ainda acredita na promessa de Scarpia, de que o fuzilamento será simulado.




ATO V (TOSCA, E lucevan le stelle, 3:04)

Na prisão, acorrentado, Mario lembra os momentos felizes junto a Floria e aos pratos de Angelotti. Sem saber do arranjo de Floria, lamenta o sonho perdido e grita morrer desesperado. Para pessoas muito sentimentais este ato pode causar distúrbios emocionais: a força do momento é indescritível.




ATO VI (TOSCA, Come é lunga l’attesa, Presto, su!, 3:52)

Floria espera a execução, com medo que alguma coisa saia errada. Maro espera sua hora passeando nervosamente na cela. Chega a hora. Mario encaminha-se para o paredão de fuzilamento. Mario cai e Floria, cantando, avisa para que ele não se mova, acreditando, ainda, na promessa de Scarpia. Os guardas saem, Floria corre junto a Mario dizendo que é hora de levantar para fugir. Mario está morto. Floria cai junto ao corpo. Ouve-se a voz de Scarpia clamando vingança. A música termina, as luzes se acendem, aplausos ensurdecedores enchem o ambiente. A vida continua...





A Receita de Angelotti


Ingredientes para quatro pessoas:

50g de fungos secos (porcini), 1 cebola, 1 cenoura, 2 ramos de salsão, um pouco de cheiro verde, 70g de bacon, 50g de manteiga, 4 colheres de azeite bom, 150g de linguiça muito magra, 200g de carne moída de 1ª qualidade, 1 copo de vinho tinto bom, 1 lata de tomates pelados, ½ litro (talvez um pouco mais) de caldo de carne, sal, pimenta.

Preparo

Colocar de molho em água quente os fungos secos e deixar amolecer por meia hora e então picá-los em pedaços médios. Picar muito finamente a cebola, a cenoura e o salsão lavados. Picar também o bacon. Colocar as verduras e o bacon em uma panela com a manteiga e o óleo e fazer dourar em fogo muito baixo até que as verduras estejam macias. Adicionar a linguiça em pedacinhos, fazer pegar sabor e colocar então a carne moída e os fungos amolecidos, misturar com cuidado todos os ingredientes e deixar dourar bem. Banhar com o vinho tinto e deixar evaporar, sempre a fogo baixo. Adicionar então os tomates pelados com seu próprio caldo. Misturar e deixar cozinhar alguns minutos. Adicionar o caldo de carne, ajustar o sal e a pimenta moída e deixar completar o cozimento a fogo muito baixo por aproximadamente três horas (se necessário adicionar mais caldo de carne ou água quente). Colcoar o molho sobre uma massa de boa qualidade cozida al dente.
Bom apetite!


Grupo de Marionetes La Vita é uma Commedia
Apresentação: Café do Teatro, R. Amintas de Barros, 154
Curitiba, 17 de dezembro de 1994 22:00hs

Nenhum comentário: