dodô

dodô

24 abril 2016

Quirera is the new risotto. E peixinhos da horta.

Adoro risoto. Adoro quirera. Um dia acabei juntando tudo e deu muito certo. A goma da quirera acaba entrando nesse contexto onde faz muito sentido, e o fato de dar a fritadinha no começo sela os pedacinhos e ela não vira um blocão. Vamos assim:

. refogar 1 dente de alho em óleo de girassol, acrescentar ½ xícara de quirera e fritar também. Então deglaçar com ½ xícara de vinho branco seco e quando evaporar um tanto, adicionar as poucos caldo ou água fervendo, mexendo. Quando estiver cozida e cremosa apagar o fogo e acrescentar gordura de coco, mexendo também.
. a berinjela é salteada em óleo quente, temperada com sal e pimenta calabresa e abafada.
. para o peixinho da horta (que é um tipo de sálvia que mais poderia se chamar gatinha da horta, de tão fofinha).

Ela é empanada. Hoje usei essa receita de massa de tempurá e gostei bastante, fica macia lembrando crepes suíços mas crocante também. Deixei mais rala porque a ideia é fritar só as folhinhas e não deixar uma maçaroca (com respeito à maçaroca tentadora da Ann) e também porque não queria fritar em imersão.
Fiz sem o dashi e como não tinha fermento usei bicarbonato de sódio e funcionou direitinho.



massa do tempurá:
para uns 10 peixinhos misturar:


½ xícara de farinha de trigo
1/8 de xícara de farinha de arroz
1 colher de chá de bicarbonato de sódio
sal
e misturar quase 1 xícara de água gelada

Não fritei em imersão, coloquei um pouco de óleo numa frigideira e fritei ali, dos dois lados.

No prato, foi só juntar.
Ralei um pouco de alho cru porque estava muito a fim e recomendo, mas cada um com seus limites para o alho.
E para finalizar, folhas de azedinhas também da horta.




Nenhum comentário: